segunda-feira, 29 de setembro de 2014

LÍDER É URGENTE PARAR DE FAZER SÓ O QUE É URGENTE!!!

      Autor: Addae do Carmo



      Já pensou receber um comunicado assim:

      "Venho por meio desta fazer uma convocação a todos os líderes, gerentes, coordenadores e tantos outros para uma extraordinária revisão de valores, onde os senhores serão convidados a deixar de lado toda a urgência e toda a correria do dia a dia atrás de coisas sem importância nenhuma. As coisas importante o aguardam e querem ti apresentar um mundo novo onde o que é urgente é deixado em segundo plano, pois a maioria das coisas urgente não grande importância".



      Pois é isso mesmo que você deve fazer mesmo sem ter sido comunicado ainda, mas porque? As organizações vem perdendo a eficiência por que se esqueceram da importância e de se valorizar o que realmente se é importante. Por que então perder tanto tempo com coisas inúteis e desnecessárias.
      Em um mundo em que predomina a incerteza devemos parar para revisar nossos conceitos e identificar o que realmente importa e o que realmente deve ser levado em consideração, mas por que então afirmar que o urgente deve ser deixado de lado, na maioria das vezes o que é urgente tem pouco ou nenhum impacto no longo prazo, já o que é importante tem um impacto na organização MUITO grande e influencia não só o curto mais também o longo prazo.
        No livro A Liderança do Futuro  de Randal White e Philip Crainer os autores ao entrevistarem um sócio de uma grande empresa de contabilidade ouviram a seguinte colocação, " As pessoas progridem por serem reconhecidas na organização e ao aceitarem muito trabalho e o realizarem com eficiência. Eu, como muitos outros, caí na armadilha de aceitar tarefas de mais" e em outras entrevista a seguinte frase: " você não pode manter todas as bolas no ar, mas também não está preparado para dizer não. Alguma coisa foge ao controle e você percebe que deveria ter dito ' Desculpe, eu não posso aceitar mais isto'. Agora, estando do outro lado da cerca, não há nada pior do que quando alguém diz sim para alguma coisa e depois você descobre que ele já estava com 90% do tempo comprometido e não deveria ter aceito, mas se sentiu compelido pela ambição ou porque você pediu para que ele fizesse.".
      

      Esse é o quadro do mito da urgência, os gerentes gastam um tempo muito grande no canto superior do quadrado, lidando com coisas que acreditam ser urgentes mas que, de fato, são de menor importância. O equilíbrio precisa ser mudando passando a lidam com assuntos pouco urgentes, mas de suma importância. Assim se criará liderança menos urgentes, mas mais eficientes.

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

FORTALECENDO-SE ATRAVÉS DOS ERROS

Autor: Addae do Carmo 


Numa organização todos estão propensos a errar líderes, gestores, supervisores, não são apenas os operadores que estão sujeitos ao erro, mas em todos os níveis das empresas ele está presente. Então Estou sujeito a errar? Não posso evitar? Como vou ser visto na minha empresa?
   Bom vamos responder essas perguntas de formas simples e muitas vezes óbvias. Toda empresa possui normas, regimentos internos, fluxos e controles operacionais. Quando alguém da equipe sai fora dos padrões normalmente ele é repreendido pelo erros, mas a forma que ele age perante esses erros é que faz toda a diferença, se utiliza o feedback de forma a não repetir os seus erros e assume quando erra, essa é a forma positiva de se lidar com eles, porém se você não assume seus erros e não leva a sério o feedback recebido tem grande possibilidade de ser considerado um mal funcionário.
   Uma pessoa que quer construir uma carreira e tem vontade de crescer profissionalmente, pode utilizar suas falhas do passado para não cometer os mesmos erros no futuro. Existem várias atitudes suas que podem fazer a grande diferença:
  1. O respeito deve partir de todos: a carreira deve ser planejada estrategicamente não só no início mas durante toda a escalada profissional, atitudes como chegar atrasado sem motivo nenhum, ou até mesmo faltar com a postura correta e respeito aos colegas de trabalho são erros cometidos por diversos profissionais;
  2. Não cobre o que você não pode fazer ou não faz:  um grande problema nas organizações acontece quando o líder cobra algo que não faz ou não vai fazer esse é um grave erro, pois através dessa brecha ele estará perdendo credibilidade e futuramente ficará desacreditado;
  3. Saiba ouvir: você precisa saber ouvir e aprender com os seus erros se você não sabe ouvir estará cometendo um erro enorme, porque além de não aproveitar os feedbacks vou irá criar inimizades no seu ambiente de trabalho;
  4. Valorize seu emprego, mas não se acomode: no início é ideal passagens rápidas pelos cargos ou empresas, pois assim é possível alcançar cargos gerenciais mais rapidamente, ficar muitos anos no mesmo cargo é um erro de carreira.. Porém o oposto também é ruim, ficar pouco tempo em uma empresa, menos de um ano, poderá classificar como uma pessoa instável.

   Essas são apenas algumas dicas que podem ser muito úteis no seu ambiente de trabalho, qualquer trabalho que você for desempenhar deve haver planejamento,  organização e controle. Aproveite ao máximo essa dicas e valorize sua carreira!!!

Leu? Gostou? Compartilhe!!!!

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

PROATIVIDADE: COMEÇE POR VOCÊ

Levando em consideração o contexto profissional contemporânea é possível termos a certeza que não existe a possível de um profissional ter sucesso sem tem Proatividade. A Proatividade que a pouco tempo deixou de ser coadjuvante e passou a ser ator principal dentro das organizações, pois elas viram que a diferente entre um profissional comum e reativo e um profissional proativo é gritante é sobre isso que vamos falar.
Você enquanto profissional é uma pessoa que deve sempre ser eficiente, eficaz, comprometido, envolvido, inovador, que gere resultados entre outros tantos pontos, porém tudo isso se resume a uma palavra que se for bem aplicada tem a capacidade de transformar uma carreira decadente em um caminho para o sucesso, que é a Proatividade.
Ser proativo é ser inovador, ter atitude iniciativa, saber gerenciar seu tempo, administrar a sua vida e ter a consciência que em algum ponto você sempre precisará melhorar e se você reconhecer que precisa e se dispor para isso, pode ter a certeza que melhorará e crescerá sempre, tenha sempre em mente que você deve ser melhor hoje do que foi ontem e amanhã melhor do que hoje. Certa Eistein pronunciou a seguinte frase “O único lugar em que o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário”, ou seja, sem trabalho e sem esforço não existe sucesso e se existe não terá valor.
Deixar de ser uma pessoa comum e se tornar uma pessoa proativa é deixar de lado o individualismo, se esforçar para alcançar o sucesso com o trabalho em equipe, ter a certeza que sozinho não chegará a lugar nenhum e de que se a mudança deve acontecer começará por você. Não fique esperando comece a mudança por você, muitas pessoas ficam as vezes a vida toda colocando a expectativa em outras pessoas, em coisas ou em possibilidade, mas nunca nelas mesmas. Muitas vezes o sucesso está a um passo, basta você sair do lugar e começar a agir.
Outro ponto muito importante para uma pessoa que é ou quer se tornar proativa é o “agir”, tenha atitude faça acontecer, mas de forma organizada e assertiva é possível ser inovador, eficiente, ter atitude e ainda por cima ser organizado e planejar como irá agir ao invés de sair fazendo tudo e esperar que algo de certo.
Proatividade não se compra muito menos se adquire da noite para o dia, porém é possível se tornar uma pessoa proativa, deve-se trabalhar dia a dia para alcançar sucesso a Proatividade se constrói com atitudes diárias. Comece  agora e em breve estará colhendo os frutos.


sábado, 13 de setembro de 2014

POR QUE MUITOS PROFISSIONAIS SE CAPACITAM E SE DESQUALIFICAM?

Autor: Addae do Carmo

Em um mundo que está cada vez mais competitivo e que vem exigindo cada vez mais capacitação profissional, quero retratar uma realidade empresarial à “desqualificação profissional” um termo que não é utilizado e que nem existe no dicionário, mas na minha visão de suma importância e que deve ser debatido não somente em um ou outro lugar, mas em diversos meios e mídias, tanto acadêmicas quanto empresariais.
As empresas exigem de seus profissionais cada vez mais qualificação, sendo pedido muitas vezes Graduação, Pós, MBA, Mestrado, Doutorado, Inglês, Mandarim, e outros tantos conhecimentos que se eu fosse citar aqui iria aumentar esse artigo em pelo menos três paginas e em troca oferecer salários mínimos valores irrisórios e que muitas vezes não supre nem mesmo as necessidades básicas de seus funcionários. E mais muitas vezes não pedem qualificações desnecessárias e não aplicáveis à função ou ao cargo e que quando o novo colaborador se depara com a pratica acaba se desmotivando e acaba por achar que estudou a toa.
Não quero que você pare de estudar e se qualificar eu sou totalmente favorável à qualificação profissional e também que o colaborador se prepare para enfrentar os desafios que lhe serão apresentados no contexto organizacional, porém existe uma discrepância muito grande entre o que é pedido e a realidade e isso muitas vezes faz com que pessoas muito capacitadas de tornem pessoas desqualificadas.
Dentro das universidades e escolas técnicas e profissionalizantes criam tantas teses e teorias, mas esquecem de levam em consideram a aplicação no contexto organizacional, onde existe um distanciamento cada vez maior entre a pratica e a teoria. Os acadêmicos sobre falam para acadêmicos e escrevem para outros acadêmicos e isso faz com que quem não participa desse meio não tenha acesso ao conhecimento e muitas vezes criem certa resistência, pois não conseguem compreender o que se quer passar. Por não conseguirem compreender dizem que “é tudo baboseira, besteira e no papel é tudo bonito na pratica que eu quero ver”. As organizações devem buscar o equilíbrio entre o erudito e o popular, utilizar a técnica de maneira simples, porém precisa ser limpa e de forma a se alcançar resultados.
O que muitas vezes também acontece é que a pessoa se qualifica, mas quanto mais estuda menos produz, começa a colocar barreiras, empecilhos, passa usar o famoso jargão “isso não é da minha função”. Esquece-se de algo que aprendem logo no inicio de seus estudos a proatividade, a atitude que faz tanta diferença no ambiente profissional, empresarial e acadêmico. A pessoa se torna literalmente um “chato”, que conhece muito, mas pratica pouco.

Pare para pensar. Será que você não está se tornando um “chato”? Deixando de lado coisas básicas como trabalho em equipe? Cooperação? Iniciativa? Não seja um dos muitos que quanto mais se capacitam mais se desqualificam e por fim não se esqueça crescer junto com outras pessoas é muito mais fácil que crescer sozinho.

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

NETWORKING: UMA PODEROSA FERRAMENTA PARA O MARKETING PESSOAL

Autor: Addae do Carmo

O atual cenário econômico brasileiro e mundial não tem se mostrado muito animador e frente a isso muito profissionais não tem buscado trabalhar seu Marketing Pessoal, já outros apenas tentam mesmo sem saber por onde começar, ou como começar. Segundo Arcoverde (2014):

“Na correria do dia a dia pode ser complicado se dedicar a mais esse aspecto do trabalho – seja garantir que seus resultados fiquem visíveis dentro da empresa onde trabalha ou para o mercado como um todo -, mas especialistas reforçam que essa é uma habilidade essencial para profissionais atualmente. […]” (ARCOVERDE, 2014).
 
O marketing pessoal muitas vezes é deixado de lado, ou literalmente esquecido, sendo Omelas (2014) “[…] Quando se fala em produto, normalmente se pensa em uma embalagem preferencialmente bonita, atrativa e com conteúdo. Porém, se esta embalagem vier vazia, deixa de ser um produto e passa a ser apenas uma embalagem. […]”. A partir dessa premissa que iremos iniciar nossa abordagem sobre o marketing pessoal com foco em networking e sobre a sua importância para o profissional que quer se destacar no ambiente empresarial.

O que é networking?

Segundo Rego (2014) “Networking é o ato de desenvolver e manter uma rede de contatos informais, com o objetivo de atender a interesses mútuos, geralmente sem o envolvimento de amizade […]”. A partir da definição de Rego temos uma visão simplista do que é networking. A rede de contatos (networking) de um profissional pode se iniciar por contatos formais ou informais, sendo que o interesse pode surgir posteriormente ao primeiro contato, podendo geram ainda um envolvimento de amizade e companheirismo.
Networking nada mais é que uma rede de contatos em que o profissional possui contato pelo menos uma vez a cada seis meses, onde nem sempre se contata por necessidade, mas também para a manutenção da sua rede e até mesmo para estreitar vínculos.

Como começar um networking?

Muitos profissionais não gostam de fazer networking e acham irrelevante ou que não tem ligação com o Marketing Pessoal e acabam desligando essa ferramenta tão importante e de tamanha utilidade do seu Marketing Pessoal. No entanto uma rede de contatos estruturada pode fazer com a sua carreira profissional deslanche mais rapidamente e de forma mais fácil.
Segundo Kometani (2014)

Um bom primeiro passo é se reconectar com amigos antigos, seja da faculdade, da infância ou do trabalho. Segundo Adam Grant, autor do livro "Give and take" (Dar e receber, em português), em alguns casos, retomar esses contatos pode até ajudar mais do que procurar os profissionais mais próximos.” (KOMETANI, 2014).
O primeiro lugar para procurar pessoas para compor seu networking é entre seus amigos e pessoas que você já conhece. Procure saber o que essas pessoas fazem com quem se relacionam e como podem influenciar sua carreira profissional.
Montar rede de contato é muito mais que apenas pegar o nome da pessoa, deve-se saber o que a pessoa faz ter em mãos e-mail e telefone dela. Uma pessoa que você não sabe como entrar em contato não pode compor seu networking, você deve conseguir contata-la de alguma forma.
Segundo o Alerta Emprego (2013), o networking pode oferecer as seguintes vantagens:

·         Ficar a conhecer mais ofertas de emprego (muitas ofertas de emprego não chegam a ser publicitadas, sendo preenchidas através da rede de contatos dos atuais colaboradores da empresa);
·         Ser referenciado por alguém da sua rede de contatos para uma oportunidade;
·         Conhecer informações sobre o empregador antes da entrevista de emprego;
·         Aprender uma nova profissão e conhecer a realidade de trabalho de determinada empresa;
·         Pedir referências (aos membros da rede) de candidatos para preencher vagas na empresa;
·         Pedir informações sobre algum tema específico no qual outro membro da rede seja especialista;
·         Ter conhecimento de Clientes novos para a empresa onde trabalha.


Trabalhar o networking exige tempo e disposição, aproveite para começar o mais rápido possível, pois os resultados podem ser surpreendentes. Não fique com medo ou pense que os outros irão ti achar incompetente por pedir ajuda, o seu sucesso profissional pode estar a um passo.




REFERÊNCIAS

ALERTA EMPREGO. A importância do networking na procura de emprego. Disponível em: <http://blog.alertaemprego.pt/a-importancia-networking-na-procura-de-emprego/>. Acesso em 10 set. 2014.


ARCOVERDE, Letícia. Cuidado com o marketing pessoal ajuda a ter sucesso. Disponível: <http://www.valor.com.br/carreira/3681790/cuidado-com-o-marketing-pessoal-ajuda-ter-sucesso>. Acesso em 04 set.2014.
KOMATANI, Pâmela. Odeia Fazer Networking? Veja dicas para começar uma rede de contatos. Disponível em: <http://g1.globo.com/concursos-e-emprego/noticia/2014/08/odeia-fazer-networking-veja-dicas-para-comecar-uma-rede-de-contatos.html>. Acesso em 09 set. 2014.
OMELAS, Cristiane. Marketing Pessoal: Você é o seu melhor produto. Disponível em: <http://www.ebs.edu.br/portal/noticias/marketing-pessoal-voce-e-o-seu-melhor-produto/>. Acesso em 04 set. 2014.

REGO, Guilherme. Networking, o que é isso? Disponível em: <http://revistagestaoenegocios.uol.com.br/gestao-motivacao/45/artigo265195-1.asp/>. Acesso em 09 set. 2014.