quinta-feira, 26 de março de 2015

5 ATITUDES DE SUCESSO PARA PODER EMPREENDER

Autor: Addae Do Carmo

Está cada vez mais comum ouvirmos falar de empreendedorismo e vermos pessoas se aventurando nessa área que tanto cresce, mas muitas pessoas não tem uma noção exata do que realmente seja empreender.

No Brasil é comum vermos pessoas que abrem seus próprios negócios e que buscam empreender no ambiente em que convivem, na maioria das vezes apenas por uma necessidade e não porque realmente tem uma visão ou identificam uma necessidade real no seu ambiente de convívio. Essas pessoas começam com um sonho que na maioria das vezes é de ser seu próprio patrão.

As vezes esse comportamento faz com que a pessoa tenha sucesso outras vezes nem tanto, mas o que realmente difere o empreendedor de sucesso de que não obtem sucesso, dizem que é o dinheiro que possui, as parceiras, o estilo do negócio, o ramo ou até mesmo a quantidade de pessoas que buscam seus produtos.

Apesar de algumas dessas coisas colaborarem para que o empreendedor alcance o sucesso. Nunca uma única atitude pode responder por todo o sucesso obtido pela pessoa no desenvolvimento do seu negócio. A seguir irei listar alguns comportamento que podem contribuir para que o sucesso seja uma consequência do seu trabalho.

1° Pesquise o mercado: procure conhecer realmente qual a necessidade do mercado em que está inserido, tentar suprir uma demanda que não existe pode indicar o início do fracasso. Por mais que seja possível criar um desejo de compra, se não existir demanda dificilmente conseguirá obter resultados financeiros satisfatórios.

2° Identifique oportunidades: identificar a oportunidade por ter um grande impacto no sucesso de um negócio e por isso ficar atento a todo o ambiente em que se está pode fazer toda a diferença para quem quer ser um empreendedor de sucesso.

3° Tenha ideias: a criatividade e a inovação dependem da capacidade de se ter ideias não necessariamente criar algo novo, mas ser inovador é criar uma solução para um problema comum pré-existente, sendo que essa solução pode ser algo que existe ou que não existia anteriormente, mas que com certeza irá resolver um problema evidente.

4° Resolva: ser empreendedor também gostar do que faz, mas não significa fazer o que é legal o tempo todo, em sua carreira terá que suportar vários “pepinos” para alcançar o sucesso que tanto almeja. O principal ponto é ser um solucionador, o mais difícil é encontrar pessoas que querem resolver problemas e se você estiver pronto para isso com toda certeza terá chances de crescer rapidamente.

5° Arisque: um velho ditado diz que “quem não arisca, não petisca”, isso é a mais pura verdade quem não está disposto a arisca, nunca será realmente um empreendedor, porém ariscar não é dar um tiro no escuro e sim planejar e agir na frente do mercado, baseado em métrica ou projeções, ou algo que dê uma base para as decisões que se pretende tomar.

Esses são apenas alguns pontos que podem ser de extrema importância para o empreendedor e podem fazer toda a diferença entre o empreendedor de sucesso e o empreendedor que fracassa, se você já pratica essas dicas parabéns! Se tiver algo a acrescentar não deixe de comentar. Sua opinião é muito importante.


Leu? Gostou? Compartilhe!

quarta-feira, 25 de março de 2015

7 PRINCÍPIOS DO TRABALHO EM EQUIPE

Autor: Addae do Carmo

Sempre que ouvimos falar em trabalho em equipe nos questionamos sobre o que pode fazer melhorar e tornar a equipe mais produtiva e quase sempre apresentamos falhas nos outros e colocamos outras pessoas como sendo responsáveis pela falha da equipe. Porém o que temos que pensar não é quem é responsável e sim o porquê não deu certo.
 
Na minha experiência com consultoria nos últimos três anos eu elenquei algumas atitudes que são no geral responsáveis por destruir uma equipe e fazer com que o trabalho nunca encontre um fim. Preste atenção nas atitudes elencadas, pois a maioria senão a totalidade dos projetos não que são concluídos apresentaram erros em pelo menos um desses pontos.

1 – Individualismo: quando os indivíduos da equipe não agem priorizando as necessidades do grupo, acabam gerando um desalinhamento de objetivos, onde cada um acaba buscando o que é melhor para cada um e não para o grupo. O individualismo não prejudica apenas dentro das paredes de uma empresa, se você é individualista tende a ser assim em todas as áreas de sua vida, independentemente se for profissional, familiar, conjugal, relacional, entre outras áreas, em todas se tende a ter o mesmo comportamento.

2 – Companheirismo: ser companheiro vai além de ajudar uma vez uma pessoa, companheirismo está relacionado com empatia, cada um deve se colocar no lugar do outro e ver o mundo pelos olhos dele. O companheirismo é se dispor todo tempo para alcançar um resultado comum, não ficar preso apenas em suas tarefas, mas ter em mente as tarefas e o sucesso da equipe, mas veja bem ser companheiro não tem nada a ver com ficar sobrecarregado de serviço para agradar os outros, ou para se dizer que você “é bonzinho”, não, o companheirismo somente surge com sinceridade e transparência, todos devem conhecer as limitações de cada membro da equipe isso somente surge com a pratica da transparência.

3 – Transparência: seja claro não esconda nada, confie em quem está trabalhando pelo mesmo objetivo que você a confiança não pode existir sem transparência, se você esconde os fatos e acontecimentos da sua equipe dificilmente irá conseguir fazer com que eles realmente se envolvam e se comprometam com os objetivos comuns ao grupo.

4 – Confiança: esse é um dos pilares do trabalho em equipe, pois sem confiança nada pode ser desenvolvido. Quando se desconfia em alguém dificilmente conseguirá trabalhar em equipe com essa pessoa, pois o medo e o receio destroem qualquer tipo tentativa de se construir algo produtivo ou se de chegar ao sucesso, pode até acontecer de se chegar ao sucesso em projeto simples e sem grandes desafios, mas quando o projeto exigir grande envolvimento a equipe estará ao fracasso antes mesmo de começar se os membros não se acertarem.

5 – Envolvimento: ninguém gosta de ser deixado de lado e caso alguém não seja envolvido no processo dificilmente conseguirá fazer com que essa pessoa desenvolva qualquer nível de espirito de equipe no decorrer do trabalho, pois o envolvimento é essencial para que se dê inicio ao comprometimento.

6 – Comprometimento: a partir do ponto em que o individuo se envolve com o objetivo da equipe ele tende automaticamente a desenvolver o comprometimento que é buscar sempre dar o melhor de si para o grupo e para os objetivos coletivos, além disso ele tende a compartilhar mais com os outros integrantes e buscar o desenvolvimento geral e colocar as metas coletivas acima das individuais.

7 – Afinidade: por último esse item que tem igual ou maior importância que os outros que é a afinidade. A sintonia entre os membros da equipe faz com que os mesmos possam alcançar resultados melhores e mais satisfatórios. Afinidade é mais do que achar a pessoa legal, ou boazinha, é ir além realmente gostar da pessoa se identificar com seus sonhos e objetivos, ter real empatia pela pessoa e quer chegar ao sucesso juntamente com ela.

Essa dicas podem estar relacionadas ao sucesso ou ao fracasso que sua equipe está tendo, se estiver com problemas em algum desses itens, não fique com medo ou desista, pois você sempre terá a oportunidade de corrigir o que está errado, se não for sua responsabilidade, não espere o responsável se mobilizar comece por você e mesmo que pareça que não esta dando resultado tenha calma, pois uma hora os resultados vem. Ninguém perde por trabalhar em equipe.


Leu? Gostou? Compartilhe!

sábado, 21 de março de 2015

BEL PESCE NO FÓRMULA DE LANÇAMENTO

Hoje quero compartilhar o conhecimento de uma forma diferente, esse video é fantástico e vale para todos que tem uma visão diferente do mundo. "A menina do Vale" Bel PeSce nos mostrando um pouco do que sabe.






Meu título


conteúdos da página


terça-feira, 17 de março de 2015

GESTÃO COMPLICADO E SIMPLES

Autor: Addae do Carmo

Estar à frente de uma empresa ou de um setor nunca é fácil, pois por mais preparado que estiver sempre encontrará desafios que parecerão intransponíveis. O processo de liderança e gestão sempre é difícil e estar nessas posições normalmente gera um desgaste muito grande.

Diversos fatores influenciam nesse desgaste como endividamento, relacionamentos em conflito, falta de conhecimento técnico e falta de vivência, dificuldade de comunicação, falta do espírito de equipe e muito mais coisas que tornam o trabalho do líder desgastante e pesado.

Porém recentemente encontrei um quadro muito interessante e que gostaria de compartilhar com você não consegui identificar o autor e nem a referência bibliográfica, mas assim que tiver compartilho aqui, caso você saiba deixe um comentário. Sendo líder ou gestor não é fácil, no entanto pode ser prazeroso, tudo é uma questão de ajustes.



Leu? Gostou? Compartilhe!

quinta-feira, 12 de março de 2015

3 MOTIVOS QUE GERAM RESISTÊNCIA A MUDANÇA

Addae do Carmo
Por mais preparadas e capacitadas que as pessoas sejam é comum ouvirmos do medo que todas têm da mudança independentemente que qual seja, ou qual área ela irá impactar. Por esse motivo a resistência à mudança se torna um empecilho quando sabemos que ela é inevitável e esse impedimento pode ocorrer por diversos motivos.

1 Apego a tradição: um maiores e mais fortes motivos que oferecer resistência a mudança é a tradição, pois não querem mudar porque “sempre foi feito assim”, ou porque tudo começou com um parente ou um patriarca da família e não querem esquecer suas origem. Porém mudança não é esquecer suas origem é se adaptar a tendências e necessidades do mercado e para se adaptar não é preciso apagar vínculos passados pelo contrario em muitos casos a mudança pode reforçar vínculos e reavivar a história da empresa.

2 Porque já tentaram uma vez: muitas vezes quando se tenta implantar algo, as pessoas que participam da organização já fizeram ou faziam a algum tempo o que precisam mudar e as vezes pararam por que os resultados iam demorar, ou por que não tiveram tempo para acompanhar, ou não tinha paciência ou a pessoa que começou saiu da empresa e não quiseram continuar e resolveram parar entre outros motivos. Por isso elas têm medo de começar alguma coisa que não sabem se vão dar continuidade ou se vão conseguir ter resultados, pois sua experiência passada não foi tão positiva. Para implantar uma mudança nesse cenário o principal é estabelecer um vinculo forte entre as pessoas com base na confiança e no comprometimento mutuo, demanda mais tempo, mas os resultados surgem aos poucos.

3 Porque se cansaram: um dos mais falados quando se cita a palavra mudança e talvez um dos mais trabalhosos de se lidar é quando se ouve que as pessoas estão cansadas de tentar. Muitos métodos existem no mercado e sempre as pessoas tentam implantar em suas empresas processos de melhoria, de correção, de organização e de diversas outras áreas que fazem com que surja uma resistência por cansaço, pois já tentaram tantos métodos que quase não deram resultados ou não deram nenhum resultado, seja por não saber fazer, ou por falta de acompanhamento ou por qualquer outro motivo que não veem a mudança como solução, mas como mais trabalho e adaptação. Nesse caso deve se acompanhar o processo mais de perto e mostrar as pessoas que suas ações estão sim impactando nos resultados e quais resultados elas obtiveram no que foi feito.



250x250_queima

Independentemente do motivo à resistência a mudança sempre tem um fator chave que é a confiança. A falta de confiança é o principal motivo de qualquer tipo de resistência. Não basta apenas impor é preciso comunicar, conversar, questionar e envolver as pessoas no processo.
Sendo assim a chave para a mudança está baseada em uma única palavra envolvimento. O envolvimento gera comprometimento, o comprometimento surge através da comunicação, o processo de comunicação depende de clareza, a clareza depende da confiança e a confiança deve ser um esforço mutuo e multilateral, onde quanto mais pessoas estiverem engajadas e prontas para assumir responsabilidades em prol do bem comum, mais fáceis serão as mudanças.


Leu? Gostou? Compartilhe!

segunda-feira, 2 de março de 2015

SEJA REALISTA

Todo empreendedor quer ter o melhor negócio e o mais bonito e o melhor produto e tudo que conseguir ser melhor. Nessa busca começam a gastar excessivamente e sem o menor controle, como se fossem os donos de todo o dinheiro do mundo e na realidade não é bem assim, talvez você seja um desses, então quero ti convidar os pés no chão.

Algumas perguntas podem fazer com que você se transforme em um empreendedor realista que são:
·         Por quê?
·         Eu preciso?
·         O que acontece se eu não fizer?
·         E se eu fizer?
·         Qual resultado eu espero?
·         Em quanto tempo?
·         Esse resultado será satisfatório?
·         Cobrirá meus gastos e fará com que eu tenha lucro?
·         O lucro compensará todo o trabalho?
·         Enquanto eu aguardo o retorno, como vou me manter?
·         Tenho reserva financeira para esperar o retorno do investimento?
·         Quanto eu vou precisar?
·         REALMENTE EU POSSO?

Lógico que você pode modificar e até acrescentar perguntas, no entanto o que não deve deixar é de fazê-las. Podemos e devemos ter sonhos, mas sempre devemos ter os pés no chão. Como disse uma vez Waldez Ludwig “A cabeça está aonde? Nas nuvens! Mas os pés no chão, afinal ninguém é louco...”.


Parar para fazer essas perguntas não fará você enfraquecer ou perder o poder é apenas dar um passo de cada vez e fazer realmente o que está ao seu alcance. Suas metas devem estar de acordo com sua realidade, por exemplo, se eu quiser comprar uma Ferrari e tiver $500 mil, já estarei na metade do caminho preciso me planejar para conseguir os outros $500 mil, mas se eu tenho $0, então ficará muito difícil, pelo menos pelos métodos lícitos e tradicionais.

Leu? Gostou? Compartilhe!!!